Vai fazer uma viagem internacional? Saiba quais países aceitam a sua CNH

Você que está se preparando para fazer uma viagem internacional, saiba que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) definitiva é aceita em mais de 100 países. Por conta da Convenção Internacional de Tráfego Rodoviário de Viena e do Princípio de Reciprocidade, brasileiros têm a própria Carteira brasileira aceita por até 180 dias.

No entanto, para facilitar as autoridades internacionais, é recomendado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) que o motorista possua a Permissão Internacional para Dirigir (PID).

O PID é uma versão traduzida da sua CNH nos idiomas: inglês, espanhol, francês, alemão, russo, árabe e chinês.

Para retirar o PID, entre no site do Detran, imprima o boleto da taxa no valor de R$ 139,30 e efetue o pagamento.

Após o pagamento da taxa, agende a entrega do documento no site http://www.detran.rj.gov.br/_agendamento.eletronico/renach/telac.asp ou no telefone 3460-4040.

O documento poderá ser retirado em até 1 dia útil na Sede do Detran ou em 3 dias úteis em qualquer posto do Departamento.

Vale lembrar que a PID não é obrigatória, porém, em caso de acidente ou infração, se o condutor estiver somente com a CNH e passaporte, ele poderá ficar retido momentaneamente pelo órgão responsável do país para que seja realizada a tradução da Carteira no consulado brasileiro.

Se você não conseguir emitir o PID antes da sua viagem, fique despreocupado. Separamos uma lista com os países que aceitam a CNH brasileira. São eles:

 

Países integrantes da Convenção Internacional de Tráfego Rodoviário de Viena:

África do Sul, Albânia, Alemanha, Angola, Argélia, Argentina, Austrália, Áustria, Azerbaidjão, Bahamas, Barein, Belarus (Bielo-Rússia), Bélgica, Bolívia, Bósnia-Herzegóvina, Bulgária, Cabo Verde, Cazaquistão, Chile, Cingapura, Colômbia, Coréia do Sul, Costa do Marfim, Costa Rica, Croácia, Cuba, Dinamarca, El Salvador, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Estados Unidos, Estônia, Federação Russa, Filipinas, Finlândia, França, Gabão, Gana, Geórgia, Grécia, Guatemala, Guiana, Guiné-Bissau, Haiti, Holanda, Honduras, Hungria, Indonésia, Irã, Israel, Itália, Kuweit, Letônia, Líbia, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia, Marrocos, México, Moldávia, Mônaco, Mongólia, Namíbia, Nicarágua, Níger, Noruega, Nova Zelândia, Panamá, Paquistão, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, Reino Unido (Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales), República Centro-Africana, República Democrática do Congo, República Checa, República Dominicana, Romênia, San Marino, São Tomé e Príncipe, Seichelles, Senegal, Sérvia e Montenegro, Suécia, Suíça, Tadjiquistão, Tunísia, Turcomenistão, Ucrânia, Uruguai, Uzbequistão, Venezuela e Zimbábue.

 

Países integrantes do Princípio de Reciprocidade

Angola, Argélia, Austrália, Canadá, Cabo Verde, Cingapura, Colômbia, Coréia do Sul, Costa Rica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Gabão, Gana, Guatemala, Guiné-bissau, Haiti, Holanda, Honduras, Indonésia, Líbia, México, Namíbia, Nicarágua, Nova Zelândia, Panamá, Portugal, Reino Unido (Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales), República Dominicana, São Tomé e Príncipe e Venezuela.

 

Itália mudou as regras para brasileiros dirigirem no país

Em janeiro deste ano, entrou em vigor um acordo firmado entre Brasil e Itália que permite a conversão dos documentos de motorista entre os dois países. No entanto, a regra só vale para quem mora na Itália há menos de 4 anos e cuja Carteira de Habilitação foi emitida antes da obtenção da residência no país.

Para os turistas as regras permanecem as mesmas. De acordo com as regras do Consulado-Geral do Brasil em Milão, brasileiros que desejam dirigir pelas ruas e estradas italianas têm duas opções: efetuar, na Itália, uma tradução juramentada da CNH ou solicitar, no Brasil, a PID.

 

 

Gostou do nosso texto? Compartilhe nas suas redes sociais para que seus amigos também saibam os países que aceitam a CNH brasileira.

2018-06-24T20:16:01+00:00