Quais são os documentos necessários para fazer a transferência de carro?

CERTIFICADO DE REGISTRO DE VEÍCULO
O Certificado de Registro de Veículo (CRV) é um documento emitido pelo Departamento de Trânsito (DETRAN) de cada estado. Trata-se de uma espécie de carteira de identidade do carro, que contém informações sobre modelo, ano, cor e, claro, os dados completos do proprietário.

Ao vender um carro, portanto, você precisa fazer a transferência do CRV em até 30 dias após a venda. O primeiro passo é preencher o verso do CRV, visto que lá está a autorização de transferência do veículo. Em seguida, o vendedor e o comprador devem se dirigir a um cartório para que ambos assinem o documento e retirem uma cópia autenticada.

Como esse processo é realizado no DETRAN, é preciso que essa cópia seja enviada para o órgão do estado. Assim é feita a comunicação de venda do veículo, o que é necessário para eximir o antigo proprietário quanto às infrações cometidas futuramente com o carro.

Para fazer a transferência do CRV, porém, é preciso apresentar outros documentos — sobre os quais ainda falaremos.

DOCUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO
Tanto o comprador quanto o vendedor precisam levar documentos recentes e com foto. Podem ser usadas, por exemplo, a carteira de identidade, a carteira de trabalho ou a carteira de habilitação.

COMPROVANTE DE ENDEREÇO
É preciso apresentar comprovante de endereço relativo aos últimos 3 meses. Podem ser usadas contas de luz ou de água, por exemplo. É importante lembrar que o comprovante deve estar no nome do comprador ou de um parente de 1º grau.

COMPROVANTE DE REGISTRO E LICENCIAMENTO DE VEÍCULOS
O Comprovante de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) é o documento que permite que o carro trafegue nas ruas de todo o país. O vendedor deve disponibilizar original e cópia, bem como comprovação de quitação pela emissão do documento junto ao DETRAN.

IPVA E MULTAS
A quitação do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) também precisa ser comprovada no caso da transferência de carro. O antigo dono ainda deve apresentar a quitação das eventuais multas aplicadas para não deixar essa herança para o comprador.

VISTORIA
Grande parte dos DETRANs do país fazem uma vistoria antes de autorizar a transferência de carros. O objetivo é verificar se o automóvel não sofreu nenhuma avaria ou adulteração, como número de chassi raspado ou numeração do motor alterada. Vale lembrar que o comprador também precisa conduzir uma vistoria por conta própria com o objetivo de identificar possíveis problemas, como defeitos ou processos anormais de desgaste.

REGISTRO NACIONAL DE VEÍCULOS AUTOMOTORES
Por meio do Registro Nacional de Veículos Automotores (RENAVAM) é possível encontrar todas as informações de um automóvel, desde o número do chassi, passando por emplacamento e mudanças de proprietário. Por isso, é necessário apresentar 2 cópias do formulário bem como a pesquisa do RENAVAM comprovando que não há nenhuma pendência. Para terminar, é preciso levar dois adesivos do número do chassi do carro para serem afixados no verso do RENAVAM.

QUANTO CUSTA E DEMORA TODO ESSE PROCESSO?
Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, os prazos para transferência são definidos em 30 dias, seja de propriedade ou de localidade.

Os valores para realizar o processo são estaduais. Dessa forma, cada estado fixa o valor da transferência. Além disso, em alguns estados o valor pode mudar, conforme o veículo for licenciado ou não.

Em São Paulo, por exemplo, a transferência de veículo licenciado custa R$ 193,04, enquanto o custo para um automóvel não licenciado é de R$ 278,28. Para ter acesso a esses valores, basta consultar o site do DETRAN do seu estado.

Lembre-se de que alguns desses processos podem ter custos incluídos. Sendo assim, esses valores devem entrar no seu planejamento financeiro.

 

2019-03-18T17:24:23+00:00