Pensando em comprar um carro? Anota essas dicas!

A compra de um veículo pode trazer problemas para as suas finanças.

Veja dicas para não ter dor de cabeça!

O brasileiro é um dos grandes amantes do universo automobilístico. A compra de um carro é sempre uma conquista pessoal de muita importância e muitos pais sentem-se felizes por dar o primeiro carro ao filho, geralmente uma recompensa por passar na faculdade ou até como presente de aniversário de 18 anos, é algo cultural no nosso país.

No entanto, muitas pessoas, levadas pela emoção ou pela vaidade, assumem compromissos além de suas condições, muito além das possibilidades que seu orçamento pode segurar, comprometendo uma boa parte de suas finanças e levando anos para recuperá-las.

Evite essa dor de cabeça, com algumas dicas simples. Confira!

De acordo com o Blog Mobills:

Você realmente precisa comprar um carro?
Você precisa mesmo de um carro? Embora ter o próprio automóvel signifique comodidade, facilidade e liberdade de locomoção, muitas vezes, dependendo do seu estilo de vida, um carro não é tão necessário assim.

Antes de pensar em como você vai adquirir o seu automóvel, coloque todos os prós e os contras bem definidos. Se sua conclusão for que sim, que você realmente precisa de um carro e que pode pagar pelo seu custo, chegou a hora de se decidir pelo modelo.

O carro será usado para que? Para trabalhar, visitar clientes, transportar as crianças à escola, ou seria um segundo carro?

Para cada uma dessas necessidades existe um modelo de carro adequado, que não precisa necessariamente ser luxuoso ou dispendioso. Pesquise as opções!

Cuidado com os vendedores de carro!

Vendedores tem metas, objetivos e recebem comissões por cada venda que fazem. Então, esteja certo que eles serão altamente persuasivos com você, fazendo você se sentir péssimo e pouco esperto se não fechar “esse ótimo negócio”.

Mas você não precisa concordar com nada disso. Afinal, o dinheiro ainda é todo seu, e você pode perfeitamente pesquisar as melhores opções antes de se decidir. Lembre-se: só feche o negócio que seja mais vantajoso para você.

Financiar não é a única opção

Geralmente, quem compra um carro não levanta de um dia para o outro dizendo para si mesmo: “Chegou a hora, vou comprar um carro hoje”. É uma decisão tomada depois de vários dias de reflexão, senão semanas ou meses.

Se você não precisa do carro imediatamente para algo muito urgente, considere a hipótese de esperar mais alguns meses, juntando todo o dinheiro possível para dar uma boa entrada nele ou, quem sabe, pagar à vista.

Financiamentos são carregados de juros, que transformam as parcelas de pequenas e amigas a enormes e inimigas, comprometendo muito mais do seu orçamento do que você se dispôs a pagar inicialmente.

Se possível, evite. Principalmente os financiamentos oferecidos pelas próprias concessionárias, que são práticos, rápidos e vantajosos… para elas!

Quem tem carro, tem gastos

E você, que achava que estava sendo desfalcado em seu minguado salário com as passagens de ônibus, vai descobrir que com carro a quantidade de gastos aumenta até o infinito: além do combustível, que em nosso país tem um dos preços mais altos da América Latina, existe o custo de reposição de peças, pagamento da Proteção Veicular, licenciamento, IPVA, consertos e manutenção e outros.

Ao decidir comprar um carro, você deve também colocar todos esses custos extras na ponta do lápis, pois o carro é um item dispendioso de ser mantido em boas condições.

Para diminuir esses gastos, pesquise por modelos simples, que exigem pouca manutenção e gastem pouco combustível. Claro, também pesquise por uma Associação de Benefícios com um preço que você consiga pagar, que entregue um bom serviço e que cubra em áreas de risco.

Nós te indicamos a Facility!

Quem tem Facility, tá tranquilo!

Faça uma simulação agora no nosso site!!!!!

2018-02-27T17:35:54+00:00