Dia Nacional da Paz no Trânsito: 5 atitudes positivas por um trânsito mais tranquilo

Atualmente, segundo a pesquisa do Sindicato Nacional de Arquitetura e Engenharia, há uma média estimada para uma frota de 3,3 milhões de carros trafegando por toda a Região Metropolitana do Rio e há uma previsão até o ano de 2040 para que esse número aumente 140%. Manter a tranquilidade em diversas situações que ocorrem no dia a dia do trânsito é fundamental para evitar conflitos e transtornos na rodovia. Na semana em que é celebrado o Dia Nacional da Paz no Trânsito, especificamente neste sábado 21 do mês de abril, a Facility reforça aos associados a importância do respeito às leis de trânsito e a cordialidade como garantia de manter a integridade e a proteção veicular nas rodovias.

 

Estimativas alarmantes da realidade do tráfego diário na Grande Rio:

Os últimos dados, divulgados pelo portal G1, afirmam que o trânsito é o maior motivo de reclamações do cotidiano no Rio de Janeiro. Uma pesquisa recente, desenvolvida pelo Sindicato Nacional de Arquitetura e Engenharia revelou o trânsito é o que mais afeta a qualidade de vida do carioca: a mobilidade foi escolhida por 58% dos entrevistados.

É muito mais gente reclamando do trânsito do que de saneamento básico (12%), por exemplo. E também supera outros problemas reunidos (30%), que inclui até prevenção a enchentes e gravíssimas chuvas, cada ano mais fortes e catastróficas em todo o estado do Rio de Janeiro.

Ainda, de acordo com a pesquisa, esse trânsito todo é uma consequência da falta de planejamento do governo do estado. A melhoria de rendimento financeiro, graças à concessão de créditos entre os anos de 2010 e 2013 aos trabalhadores, possibilitou que muita gente comprasse seu próprio automóvel, mas os investimentos em infraestrutura não acompanharam o mesmo ritmo. O resultado acarretou em mais engarrafamentos ao longo de todos esses anos.

 

O imediatismo da atualidade deixa muita gente de cabeça quente:

As pessoas têm planejado cada vez menos suas próprias rotinas, o que reflete hábitos impulsivos, em caráter de urgência e exagero repentino nas atitudes do cotidiano. A tendência atual do mundo é que as pessoas têm se tornado cada vez mais egoístas, preocupadas apenas consigo mesmas e, geralmente, acabam por desfavorecer a preferência dada ao próximo. Atos de heroísmo e altruísmo são cada vez menos noticiados nas manchetes, e isso não é culpa dos veículos de comunicação como muita gente acredita, o que na verdade é apenas um reflexo da vida cotidiana a qual a maioria das pessoas se sujeita. Estamos, infelizmente, vivendo tempos que o interesse pelo bem do próximo está seriamente escasso.

Além das grandes faixas de engarrafamentos, os usuários das rodovias (condutores e pedestres) precisam atentar-se à diversidade de situações que podem ocorrer graças ao fluxo constante de veículos, os horários de pico, onde ocorrem travessias urbanas e quando de fato você possui direitos e deveres.

 

5 dicas fundamentais para um trânsito mais tranquilo:

A favor da promoção de boas ideias que façam com que motoristas e transportadores profissionais, motoristas e caminhoneiros comuns, motociclistas e pedestres ocupem o mesmo espaço no trânsito de forma saudável, respeitosa e pacificada, separamos cinco dicas valiosas para manter a tranquilidade, continuar protegido ao volante e chegar em casa são e salvo:

  1. Estude as regras vigentes de trânsito: é preciso conhecer as leis de trânsito para entender quando você possui direitos ou deveres, seja você um condutor ou na situação de pedestre. Desrespeitar as leis de trânsito é a questão primordial que impacta na paz do trânsito. Mesmo que você seja um condutor correto, tenha paciência com a atitude inadequada dos maus condutores e evite colocar a sua posição como “correto”, pois isso pode gerar discussões e brigas na pista. O ideal é distanciar-se do propenso infrator e, em casos graves, as autoridades precisam ser acionadas para a tomada das providências cabidas à situação.
  2. Nunca revide: você vai se deparar com muitos condutores “nervosinhos”. Não xingue de volta ou revide aumentando o tom de voz. Siga seu trajeto normalmente e não dê ouvido aos provocadores. Tenha a consciência de que os atos valem mais que palavras. Lembre-se do velho ditado: “Quando um não quer, dois não brigam”.
  3. Programe rotas alternativas: como já apontado pelos dados da pesquisa acima, o maior motivo da irritação dos motoristas é a infelicidade de se deparar com trechos congestionados nas rodovias. Eles podem ocorrer devido a obras, ação de blitz ou acidentes pelo trajeto. Atente-se às informações de trânsito, utilize aplicativos informativos ou acesse portais de notícias especializados para pesquisar previamente as rotas alternativas e a situação do trânsito na região que você irá precisar passar.
  4. Mantenha a distância segura entre veículos: evite ao máximo ficar muito próximo ao veículo posiciona a sua frente, seja na rodovia, nas paradas dos congestionamentos, no sinal ou nos pedágios. Tenha a ciência que, por qualquer ato desatento, o motorista da frente pode acionar a ré para deixar o local ou infligir o tráfego de forma impensada ou “espertinha” para sair de uma situação constrangedora ou ameaçadora. Por essas razões, mantenha sempre o espaço suficiente para evitar manobras bruscas que gerem discussões ou acidentes.
  5. Os pedestres e a preferência: Um bom condutor é sempre cortês. Dê a preferência aos pedestres sempre quando for possível. Evite situações que comprometam a segurança ou a integridade física de pedestres. Ameaça-los com manobras perigosas pode te render uma infração gravíssima, além de da suspensão do direito de dirigir. Quando você é o pedestre, mantenha-se atento, paciente, observe previamente as luzes do sinal e também a concessão dos condutores através dos gestos e luzes de sinalização dos veículos. Retribuam sempre um ato de cortesia. Lembrem-se que muito além de direitos e deveres, um trânsito tranquilo também depende de palavras e gestos de gratidão e belos sorrisos. Dê sempre um “joinha” para alavancar a moral dos bons pedestres e condutores.

Desejamos a você muita sabedoria para conduzir seu volante e seus pés pelas ruas de forma correta. Realmente, não é fácil lidar com o outro. Mas, lembre-se sempre: nunca faça com os outros aquilo que você não quer para si mesmo. Respeite o próximo e seja gentil em todas as oportunidades possíveis. Faça a diferença no trânsito: planeje-se, cuide da sua mente e do seu corpo. Pense na sua proteção e na proteção de todos os outros que dividem a pista com você todos os dias.

 

E você, tem uma história para contar? Compartilhe a sua experiência conosco!

Deixe seu comentário ou sua sugestão, pois sua opinião é muito importante.

2018-04-20T17:32:46+00:00