Desvalorização de veículos: o que fazer? - Facility ABM

Desvalorização de veículos: o que fazer?

9 de fevereiro de 2021
Desvalorização de veículos: o que fazer?

 

A compra de um automóvel é, muitas vezes, um sonho de vida para as pessoas. São anos almejando, planejando e finalmente realizando. Porém, a desvalorização é um fator que preocupa bastante quem vai comprar um carro 0 km/h.

 

Os veículos menos desvalorizados do país

 

Por essa razão, hoje trazemos em primeira mão para você a lista de veículos que menos perderam valor de mercado em 2020. A pesquisa realizada por empresas especializadas no ramo automotivo (AutoPapo e KBB) considerou os 20 carros mais vendidos do país, segundo dados de emplacamentos da Fenabrave, e sua desvalorização nos últimos três anos (2017-2020).

Além disso, o estudo levou em conta o preço de um carro 0 km original em comparação com o valor de revenda atual do mesmo veículo seminovo. O índice de desvalorização se refere à média por modelo, incluindo o cálculo das diferentes versões que o carro pode ter.

 

Vamos lá?

 

Lista dos 20 carros mais desvalorizados em 2020

 

1. Chevrolet Onix

 

onix
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -7,32%

 

Além de ser o carro mais vendido do país no ano passado, ele também é o que menos sofreu desvalorização. A verdade é que o modelo, que ganhou nova geração em 2019, é uma das exceções da pesquisa. Ainda assim, o Onix se mantém estável – quando o assunto é desvalorização – desde seu lançamento, em 2011.

 

 

2. Renault Kwid

 

kwid
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -7,86%

 

Apesar dos inúmeros recalls, o Kwid ainda é sustentado pelo custo-benefício e pelas boas vendas para continuar entre os carros com mais baixa desvalorização. Em três anos, o subcompacto da Renault depreciou menos de 8%. Seu baixo custo de manutenção ajuda o pequeno a ter boa aceitação entre os seminovos.

 

 

3. Chevrolet Tracker

 

tracker
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -9,79%

 

A SUV é nova no mercado e sua baixa desvalorização se deve a isso. No entanto, para um carro desse porte, que acabou de ganhar uma nova versão, com novos equipamentos, motor turbo e preços altos em relação à base do segmento, sua depreciação abaixo dos 10% é uma surpresa.

 

 

4. Chevrolet Onix Plus

 

onix plus
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -9,91%

 

O sucessor do Prisma tem apenas 1 ano de mercado e reafirma a baixa desvalorização que os sedãs da Chevrolet costumam ter. Seu bom custo-benefício, seu preço inicial competitivo e sua variedade de versões ajudou o modelo a ser um dos mais vendidos da categoria.

 

 

5. Volkswagen T-Cross

 

t cross
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -10,32%

 

Essa SUV é a primeira a ultrapassar os 10% de desvalorização e, ainda assim, é um dos veículos que menos perde valor entre os líderes de mercado. Contudo, ao que se deve essa virtude? O T-Cross carrega a robustez da marca alemã e uma variedade de versões, com boas opções de motores.

 

 

6. Volkswagen Polo

 

polo
Foto: Volkwwagen | Divulgação

Índice de desvalorização: -12,41%

 

O hatch alemão é outro que leva vantagem por conta da ótima fama da Volkswagen. O Polo tem três opções de motores, um custo de manutenção viável e uma ampla gama de preços.  Todos esses pontos fazem com que o modelo tenha uma desvalorização controlada no mercado que já dura há alguns anos.

 

 

7. Toyota Hilux

 

hilux
Foto: Toyota | Divulgação

Índice de desvalorização: -13,29%

 

A Hilux é uma das queridinhas do mercado automotivo. Apesar dos preços nada amigáveis – podem passar dos R$ 200 mil –, a picape da marca japonesa é a que menos desvaloriza no Brasil. A excelente reputação da Toyota contribui bastante para o desempenho do modelo.

 

 

8. Volkswagen Gol

 

gol
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -13,47%

 

Por quase 30 anos, o Gol foi o carro mais vendido do Brasil e, até hoje, mantém-se entre os 20 carros menos desvalorizados. Sua mecânica simples e barata, somada à facilidade de revenda, é uma forte aliada do Golzinho.

 

 

9. Toyota Corolla

 

corolla
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -13,58%

 

Ele é o sedã de porte médio campeão de vendas no mercado e, também, o que menos perde valor dentro de sua categoria. O Corolla tem um baixo custo de manutenção e no pós-venda e costuma ser superelogiado. Novamente, a força da marca japonesa se faz presente.

 

 

10. Volkswagen Virtus

 

virtus
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -14,11%

 

Nosso top 10 se encerra com o sedan alemão na 10ª posição. Apesar dos preços não serem os melhores, o Virtus tem a confiabilidade da mecânica Volkswagen do seu lado.

 

 

11. Honda HR-V

 

hrv
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -14,12%

 

Conforto e dirigibilidade são seus sobrenomes. Com quase 6 anos do seu lançamento no Brasil, a SUV da Honda caiu nas graças do público logo de cara. Esses fatores, aliados ao pós-venda da Honda, tornam a HR-V um dos modelos mais cobiçados do ramo automotivo.

 

 

12. Hyundai HB20

 

hb20
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -15,10%

 

O badalado hatch coreano é o segundo carro mais vendido do país e não deixa a desejar. A facilidade de vender é uma grande aliada, mas o seguro caro impede que o HB20 fique melhor posicionado na nossa lista.

 

 

13. Nissan Kicks

 

kicks
Foto: Nissan | Divulgação

Índice de desvalorização: -15,25%

 

O Kicks tem o menor custo de manutenção da categoria de compactos, um fator megarrelevante para sua moderada depreciação no mercado. O modelo tem apenas um motor para a linha e diferentes versões, o que contribui para a sua revenda.

 

 

14. Fiat Mobi

 

mobi
Foto: Fiat | Divulgação

Índice de desvalorização: -15,55%

 

A Fiat finalmente dá as caras por aqui com o Mobi, seu veículo que menos desvaloriza no país, apesar de ser apenas o 14º no nosso ranking. O pequeno tem ótimo custo-benefício e um bom desempenho nos emplacamentos, além de que o número de concessionárias da marca ajuda. Porém, a linha enxuta e o abandono do motor Firefly prejudicam.

 

 

15. Jeep Compass

 

compass
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -16,03%

 

O Compass sempre vendeu bem por ter preços competitivos e abaixo da concorrência. Apesar de estar em 15º no ranking, ele é o modelo SUV médio mais vendido do Brasil e suas versões flex e turbo contam para a sua baixa depreciação.

 

 

16. Ford Ka

 

ka
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -16,20%

 

O maior rival do HB20 na categoria aparece em 16º na lista. Apesar de ter peças com preços agressivos, a Ford ainda é reconhecida pelo seu pós-venda caro, o que se reflete em uma desvalorização mais acentuada.

 

 

17. Ford Ka Sedan

 

ka sedan
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -16,59%

 

Segue a mesma lógica do seu irmão hatch. É um bom carro, tem bons números de licenciamentos e preços de componentes mais baixos, mas é prejudicado na questão do pós-venda.

 

 

18. Hyundai Creta

 

creta
Foto: Hyundai | Divulgação

Índice de desvalorização: -16,96%

 

Os sul-coreanos ficam bem atrás de seus maiores rivais em todas as categorias de veículos. Novamente, a marca esbarra no custo do seguro, que costuma ser caro, acentuando sua desvalorização.

 

 

19. Fiat Argo

 

argo
Foto: Alexandre Carneiro | AutoPapo

Índice de desvalorização: -18,31%

 

Apesar de estar no top 5 dos carros mais vendidos do país e ter um custo-benefício convincente, o Argo sofre uma desvalorização bem alta, em comparação a seus concorrentes.

 

 

20. Fiat Strada CS

 

strada cs
Foto: Fiat | Divulgação

Índice de desvalorização: -18,88%

 

Muitas vendas nem sempre são sinônimo de valorização na revenda. É o caso dessa picape. Mesmo assim, dentro de seu segmento, é a que menos perde valor e tem um baixo custo de manutenção.

O mercado automotivo em 2021

Com as restrições da pandemia e a desvalorização do real, as importadoras tiveram uma redução de 20,7% nas vendas no ano passado, somando 27,4 mil unidades emplacadas.  Apesar da baixa, o resultado foi melhor do que a retração de 26,6% registrada em todo o mercado de carros de passeio e utilitários leves.

Para a ABEIFA – Associação Brasileira de Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotivos, a previsão para 2021 é otimista: crescimento de 9,4%. Número que, se confirmado, levará à importação de 30 mil automóveis.

Bom, a compra e venda de veículos é sempre um assunto para se ficar de olho. Assim, você evita decisões precipitadas que podem acarretar em prejuízo financeiro e menos tranquilidade na sua vida!

 

Curtiu esta matéria? Compartilhe!

 

Leia também: