Carona Solidária – resposta simples para um problema complicado

Se você está lendo esse texto, existe uma chance razoável de você morar em uma cidade onde o trânsito é um problema. Talvez seja apenas no horário de pico, com crianças entrando e saindo da escola e pessoas indo ou voltando do trabalho, talvez seja apenas em uma ou duas ruas, mas de todas as formas é um incômodo presente nessa vida.

Por ser um problema tão disseminado é que surgiram tantas alternativas para lidar com o trânsito no mundo moderno. Hoje, iremos falar sobre uma das mais fáceis de aplicar na sua vida.

O trânsito problemático

Tanto no Brasil quanto no resto mundo, o tráfego de veículos em vias públicas se tornou uma fonte de dor de cabeça nas grandes cidades. Especialmente em metrópoles, que tem milhões de habitantes e agregam várias cidades menores ao seu redor. Essas cidades satélites costumam ser populadas por pessoas que trabalham na metrópole, mas moram na cidade. Consequentemente, essas pessoas têm que transitar para a metrópole durante o dia, seja através de veículo próprio ou ônibus.

De ambas as formas se contribui para a congestão do trânsito, com estradas, avenidas e ruas cheiras de carros que se movem lentamente, de pouco em pouco, levando mais de hora para realizar um trajeto que normalmente leva alguns minutos. Algumas cidades começaram a bolarem medidas para lidar com esse problema constante. O rodízio de veículo por exemplo, implantando em São Paulo, é uma dessas.

Apesar da mudança ser mais visível nas grandes cidades brasileiras, ela ocorreu praticamente em todo o território nacional. Um relatório publicado em 2017 pelo Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores) em 2016 houve a estabilização do crescimento da frota nacional. Mas entre 2009 e 2016, a frota de veículos circulantes aumentou de 29.963.419 para 42.827.414, e as motocicletas de 9.451.514 para 13.469.778. É um crescimento dramático dentro de um período de menos de dez anos.

Resolvendo o problema

Em 2006, o país possuía um carro a cada 7,7 habitantes, em 2016 é um carro a cada 4,8 habitantes. Nas últimas duas décadas, nos tornamos uma país motorizado. Mas, como dito antes, isso gerou uma série de problemas que ninguém ainda sabe exatamente como resolver. Como aliviar o trânsito? Se a infraestrutura rodoviária é insuficiente e o transporte público não consegue lidar com a população, qual é a resposta?

Existem várias propostas para esses problemas. Mas só uma delas começa por você mesmo, motorista, e o seu próprio veículo. É a carona solidária. É uma forma prática, econômica e ecológica de melhorar o trânsito e, consequentemente, a sua qualidade de vida. Ela é o uso compartilhado de um automóvel para transportar duas ou mais pessoas de forma rotineira. É possível também realizar um sistema de rodízio, alternando os veículos e os motoristas, para não fazer uso excessivo de apenas um automóvel ou esgotar um só motorista.

Alguns países já adotaram a carona solidária e planejam suas políticas públicas visando ela. No Estados Unidos, onde mais de 10% das viagens a trabalho são feitas através de caronas solidárias, pistas exclusivas para carros com mais de dois ocupantes e até mesmo vagas de estacionamento preferenciais são usadas para recompensar e encorajar a carona solidária. O governo de Londres

também tomou iniciativas para encorajar a prática, financiando um ONG que educa a população sobre os benefícios da carona solidária.

Um costume do passado que ajuda o futuro

A prática da carona solidária não é nova. Muitos países, quando sofrendo com racionamento de combustível na Segunda Guerra Mundial e no começo da década de 1970, começaram a criar campanhas publicitárias para incentivar o uso da carona solidária. Mesmo após esses momentos de racionamento acabarem, a prática continuou e surgiram novas organizações, governamentais ou não, que estimulam e educam a população sobre os benefícios da carona solidária.

Além dos benefícios de custo e de praticidade na rotina, a redução no impacto ambiental do transporte motorizado é uma das grandes vantagens que ela oferece. Visto o efeito que a queima de combustíveis fósseis está tendo no meio-ambiente e o quão grave está se tornando esse efeito, a carona solidária não é mais apenas solidária com os ocupantes dos carros e com os outros motoristas na pista, mas com o próprio meio-ambiente. É uma forma de, facilitando a sua vida no presente, contribuir para o futuro, seu e dos seus descendentes.

A solidariedade é sempre uma boa pedida

Independente de qual seja a motivação que leva as pessoas a essa prática, a carona solidária é uma resposta que lida com um dos maiores problemas enfrentados nas cidades brasileiras do mundo moderno. Caso você não faça uso dela, pense se você poderia estar dividindo o automóvel com algum colega ou conhecido. Sem se dar conta, você pode estar perdendo uma oportunidade de facilitar a sua rotina, reduzir custos e contribuir para o meio-ambiente.

2017-10-04T14:57:31+00:00