Atrasou o IPVA? Saiba o que fazer!

Existe uma preocupação comum a todo condutor que sempre chega no início de um novo ano: o IPVA!
No mês de janeiro, ele chega com suas datas de pagamento variáveis, de acordo com o final da placa do automóvel e se você não se planejar, pode acabar se enrolando em dívidas.

Como posso pagar meu IPVA?

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, conhecido como IPVA, é uma obrigatoriedade que não tem como fugir. Os consumidores possuem a opção de pagar o valor total ou dividi-lo, pagando a primeira parcela na primeira data estabelecida.

Por que devo pagar o IPVA?

Este é um questionamento bastante recorrente, pois, muitas vezes, pagamos impostos que não sabemos seu motivo e nem para onde esse dinheiro é revertido.
O IPVA é um imposto arrecado pelos estados, que vai direto para o Tesouro e em seguida, partilhado entre ele e os municípios, de modo que 50% do valor é destinado para o município onde o veículo foi registrado e os outros 50% para o governo estadual.

Feita a divisão, não há obrigatoriedade do estado gastar a arrecadação em novas estradas ou recuperar a malha viária.
Portanto, esse valor deve ser investido na saúde, educação, segurança pública e outros serviços dedicados à sociedade, o recurso entra no bolo total do orçamento e o governante pode gastá-lo onde julgar necessário.


Perdi a data limite, ainda posso parcelar meu IPVA?

No caso de não haver pagamento em nenhuma das duas formas, na primeira data informada para a placa do seu automóvel, o pagamento integral deve ser realizado até o final de fevereiro.
Isso significa que se você perdeu a primeira data limite, não é mais possível parcelar o seu IPVA.

O pagamento de 2019, por exemplo, foi encerrado no final do mês de março. Se você é um daqueles que não realizaram o pagamento integral ou parcial do IPVA descubra como funciona o sistema anual e assim veja também como proceder nesse caso, já que agora o débito ainda está em aberto.

O sistema que o imposto utiliza é baseado nas placas dos carros, começando pelas que terminam com o número 1 e assim por diante. Caso você tenha perdido a primeira data de pagamento, como citado anteriormente, o único jeito de quitar a dívida agora seria realizando o pagamento integral e sem nenhum desconto. Até as datas limites, de acordo com o final das placas dos veículos, o boleto não gera juros e não constituirá multa sobre o valor a ser pago.

Perdi a segunda data de pagamento:

Se você realizou o pagamento da primeira parcela do seu IPVA em janeiro e perdeu a segunda em fevereiro, por exemplo, será preciso quitar o restante do valor de uma só vez.

Eu não realizei nenhum pagamento, como devo proceder?

Se o seu caso é de não ter pago nenhuma das duas formas acima, o seu débito constará em aberto. Assim o valor do seu IPVA correrá com juros diários de 0,33% mais juros de mora com base na taxa Selic, chegando até o limite de 20%.
Ainda assim, caso a situação não seja resolvida, o CPF do proprietário do veículo pode entrar na lista de restrições.

Acessando o site da Secretaria da Fazenda você pode confirmar se pagou ou não o imposto, uma vez que a dúvida pode ocorrer. Nesse mesmo site você deve disponibilizar a opção de imprimir uma guia de pagamento, mas verifique se é a guia certa.

Também é válido lembrar que você deverá pagar o valor integral com os juros e multas, portanto evite que esse transtorno aconteça!

Ou seja, não dá para simplesmente ignorar a existência deste imposto ou comprometer o orçamento como se não houvesse amanhã, pois, quando a cobrança chegar, não há como fugir.
Então, deixamos novamente o mesmo conselho do início do texto: faça um planejamento!
Ser organizado com finanças pode poupar muitas taxas desnecessárias que você não precisaria pagar se não tivesse atrasado.

Achou o texto útil? Conhece alguém que já atrasou o IPVA?
Compartilhe com ele!

2019-06-21T10:53:11+00:00