AAAPV envia nota informativa para grandes veículos de comunicação a favor das Associações de Proteção Veicular

AAAPV envia nota informativa para grandes veículos de comunicação, sobre altos índices de roubo de automóveis no Rio de Janeiro, a favor das Associações de Proteção Veicular 

Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), desde agosto de 2017 houve um aumento de 51,6% de roubo de veículos, o que acarretou o reajuste de contratos das segurados de forma considerável, levando ao cancelamento de milhares de apólices, já que começaram a calcular os valores levando em consideração o endereço do trabalho e do percurso feito pelo solicitante, o que elevou preço em até 15% do valor total, principalmente para os motoristas residentes da Zona Sul que migram para a Zonas Norte e Oeste.

 

Entenda a participação da AAAPV e a repercussão do caso:

A AAAPV (Agência de Autorregulamentação das Associações de Proteção Veicular e Patrimonial), a principal entidade representativa do setor associativista, reportou na semana passada uma resposta à nota informativa enviada aos principais jornais da Rede Globo e outros veículos de comunicação, sobre a recusa das seguradoras aos pedidos de apólices nos bairros da Grande Rio que são considerados “os mais violentos”.

Os índices de roubo de carro jamais estiveram tão elevados. Segundo o Jornal O Globo, os bairros de Irajá, São Gonçalo, Mesquita, Belford Roxo e Duque de Caxias registraram um número de ocorrências.

Entre os destaques nas manchetes televisivas é citado o roubo de 10.078 carros nos meses de janeiro e fevereiro, o que representa uma alta de 18%, exatamente 1.586 casos a mais em relação ao mesmo período do ano de 2017. Raul Canal, o presidente da AAAPV, foi quem esteve em contato com a direção regional de jornalismo da emissora, forneceu dados e sugeriu a reportagem.

Confira um trecho da nota enviada à produção do RJTV e para o jornal O Globo em prol da confiabilidade no campo de atuação das associações de proteção veicular: “Como é sabido, em virtude do alto índice de crimes e da extrema seletividade e exclusão das seguradoras, as cooperativas e associações de proteção veicular se tornaram, para alguns, o único meio de proteger seus bens e, para outros milhares, um meio acessível e confiável”.

 

Confira o reforço de comunicação dado pelo posicionamento Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa:

Ao Jornal O Globo, Dionísio Lins – vice-presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa, declara:

“É fato que a segurança no estado está deficiente, o que colabora para o aumento de delitos, principalmente o roubo e furto de veículos, que, só no primeiro trimestre deste ano, registrou mais de 15 mil ocorrências. Mas se aproveitar dessa situação e cobrar preços exorbitantes na hora de contratar ou renovar o seguro é um verdadeiro absurdo e uma covardia. Para piorar a situação, o valor ainda é diferenciado de acordo com o bairro onde o proprietário mora, o que em minha opinião vai totalmente de encontro ao Código de Defesa do Consumidor, isso sem contar que em muitos casos e proprietário do veículo tem seu pedido negado”.

 

Aconteceu com você? Entenda as providências necessárias a tomar quando um veículo é roubado:

Em tempos difíceis como estes, infelizmente, qualquer pessoa acaba ficando sujeita a passar pela péssima experiência de ter seu automóvel roubado.

Por conta dos autos índices de incidência, também aumentam os índices de fraudes para obtenção de indenizações, o que acaba sendo natural que os órgãos reguladores e a gestão das associações de proteção veicular exigem todos os documentos para comprovar que um sinistro ocorreu de verdade.

Para que você possa manter a tranquilidade e acelerar os processos burocráticos que, por muitas vezes, amarram ou engessam o sistema de ressarcimento ao associado, separamos algumas dicas:

 

  1. Realize o B.O. (Boletim de Ocorrência):

Ao formalizar um Boletim de Ocorrência, o associado oficializa a notificação às autoridades responsáveis para que as buscas pelo seu automóvel se intensifiquem e as chances de encontrá-lo acabam se tornando maiores. Outro fato importante é que o Boletim de ocorrência é uma prova básica legal de que o sinistro ocorreu. Apenas lembre-se de que falsos comunicados à polícia são considerados crime. Tenha a ciência de que ao fazer o comunicado, necessita-se ser claro, objetivo e passar o máximo de informações possíveis para que as autoridades e sua proteção veicular possam solucionar o problema no menor tempo possível.

  1. Entre em contato com a Facility:

Após ter o feito o Boletim de Ocorrência, o associado deve comunicar a Facility sobre o sinistro, para que seu caso seja avaliado, mediante a apresentação de todos os documentos necessários para que seu ressarcimento seja providenciado.

O seu comunicado pode ser feito pela nossa Central de Atendimento através dos telefones (21) 3476-4008 e (21) 2669-6208 ou pelo Aplicativo Facility.

  1. Seja paciente:

Cada caso apresentado necessita de um tempo para avaliação. Se todos os documentos foram corretamente apresentados dentro do prazo, tenha a certeza de que tudo dará certo. O prazo para ressarcimento é de 90 dias, podendo ocorrer antes.

Caso fique com dúvidas durante qualquer parte do processo, o associado pode acessar a Facility através do chat online no site, nas redes sociais ou através do SAC por telefone. A Facility terá o maior prazer em atendê-lo e sanar suas dúvidas.

 

E você, tem acompanhado as notícias?

Deixe o seu comentário, sua dúvida ou sugestão. Queremos saber a sua opinião.

2018-04-20T16:58:11+00:00