Os Perigos da Cidade

Dirigir tem seus prazeres, mas também tem seus riscos. E parece que na cidade os ricos são maiores ainda. Este texto é para você que precisa dirigir nas cidades, mas às vezes precisa prestar atenção em tantos detalhes que se esquece de prestar atenção.

Sabemos que certos acontecimentos escapam ao nosso radar, afinal são muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo. Sem contar as propagandas que estão cada vez melhores e mais atrativas. Sem contar as novas tecnologias que estão se tornando mais frequentes dentro dos automóveis.

Falando nisso, se você está dirigindo e lendo este texto no celular, está fazendo errado. Deixa o celular de lado e foca na estrada…

Terra

Para falar dos perigos de dirigir na cidade, é preciso de organização. Por isso, vamos falar de cada um dos clássicos elementos da natureza como forma de pôr ordem nos problemas. Além do que, partindo do princípio de que estamos na selva de pedra, é no trânsito que os indivíduos mostram seu lado mais natural por vezes.

A terra é por onde se anda. Então, a primeira coisa a fazer é prestar atenção nas condições da estrada. Buracos, asfalto desgastado e ruas sem asfalto são campos cheio de armadilhas por onde temos de transitar. Quem sofre é a suspensão e o balanceamento do carro, bem como as rodas.

O “por onde se anda” aqui tem mais um detalhe importante: as placas de sinalização. E outras formas de sinalização também. É sempre um olho na estrada e outro na placa para saber limite e velocidade, onde pode estacionar, cruzamentos… Nesse caso, não estamos falando de um perigo propriamente dito, mas de algo que pode ser perigoso se não seguido.

Ar

Tantos carros e tantas pessoas vivendo no espaço urbano, a sensação de sufoco é cada vez maior. O ar está cada vez mais carregado e poluído, em breve, todos nós teremos pulmões de fumante sem fumar.

O ar é a questão da visibilidade. Quanto à visibilidade da paisagem não há muito que fazer, afinal nas cidades, cada vez menos enxergamos a longas distâncias. De todo modo, não deixe de ter o para-brisa sempre muito limpo. Você pode também passar produtos que mantenham o para-brisa limpo por mais tempo.

Agora há a visibilidade na qual podemos atuar. Evite ruas pouco iluminadas, evite também trafegar por ruas onde o farol do seu carro é a principal iluminação quando você não conhece bem a região. Os perigos da cidade se tornam mais próximos nas situações

em que não temos visibilidade plena, ou quando desconhecemos a região. Além do mais, o desconhecido nos assusta, e nos preocupa tanto com o que não está no nosso campo de visão que podemos começar a imaginar coisas.

Água

Asfalto é bom, bem cuidado é melhor ainda. É impensável a atual malha viária sem uma rede de asfalto bem cuidada, bem sinalizada e que não pese no bolso do contribuinte. Na verdade, é bem pensável sim: é o que nós estamos vivendo nos dias de hoje. Pelo tanto de imposto pago, o asfalto poderia ser bem melhor (isso quando tem!).

A urbanização tem um preço quanto ao solo. E este preço é a sua impermeabilização, ou seja, cada vez menos a água é absorvida pelo solo que está coberto por pedra, cascalho, asfalto e derivados. Para algum lugar a água da chuva precisa ir, e por isso são construídas as galerias pluviais.

Porém, a capacidade destas galerias já está em muito ultrapassada. Qualquer chuva, começam os alagamentos e enchentes nas grandes cidades. A água é a questão dos alagamentos, algo que nós, motoristas, não temos muito o que fazer.

Exceto nos prevenir. Acompanhar o boletim meteorológico para saber a quantidade de chuva na semana para poder evitar as áreas de risco é a estratégia. Para saber quais são as áreas de risco, pergunte para pessoas próximas ou que já vivem há mais tempo na cidade.

Fogo

De todos os elementos que estamos elencando aqui, parece que o fogo é o mais evidente. Quando se está pegando fogo, o melhor é sair do local acompanhando pessoas experientes ou conduzindo quem precisa de ajuda. Naqueles encartes que tem no avião, aqueles que as aeromoças sempre pedem para a gente ler antes de decolar, há a orientação que diz para não correr para dentro de um local em chamas. Ainda bem que avisam…

Fogo significará, contudo, o modo como tratamos os outros motoristas, as pessoas que estão no trânsito conosco. O comportamento violento do motorista brasileiro é um dos principais motivos que faz o Brasil ser um dos campeões mundiais em morte no trânsito.

Se fogo é violência, devemos evitá-lo. Quanto mais nervoso ficamos, pior ficam os problemas, e esse é um dos perigos da cidade. Se for possível encontrar solução pacífica para os confrontos, melhor, se for possível nem criar confronto, tudo fica mais fácil.

Afinal, o conselho do encarte do avião não parece tão ruim assim.

Palavras finais

Falamos neste texto sobre os perigos da cidade, focando principalmente o motorista brasileiro. É um texto breve, não temos como fazer uma lista exaustiva de todas as formas possíveis de perigo que os cidadãos enfrentam em seu cotidiano.

Apesar disso, muitas situações a serem evitadas podem ser previamente analisadas. Não dirigir por área que desconhece, evitar áreas de risco, ter o carro sempre em dia, adotar postura defensiva no trânsito são atitudes que nos ajudam a prevenir acontecimentos desagradáveis.

E em relação ao que não se pode prevenir? Melhor mesmo é ter Facility. Afinal, quem tem Facility tá tranquilo.

2017-10-27T11:59:06+00:00