A necessidade da proteção automotiva!

O perigo e a imprevisibilidade do trânsito do Brasil fazem com que a população precise sempre se manter precavida. A proteção automotiva surge como uma solução a esse problema. Ela visa auxiliar o motorista na sua hora de necessidade, se encarregando de disponibilizar a eles todos serviços e auxílios necessários nesse momento crítico.

Nessa realidade absurda em que vivemos, a precaução nunca é demais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem uma afirmação bastante assustadora sobre o trânsito brasileiro: ele mata, e muito. Mas não somos os únicos. Muitas pessoas morrem anualmente no trânsito em todo o mundo. De acordo com um relatório da OMS, em 2013 mais de um milhão morreram em acidentes de trânsito. O número totaliza 1,25 milhões de mortos.

Uma situação que não melhora

Em muitos lugares, a estimativa de vítimas fatais no trânsito já esteve pior. O relatório indicou que, em um período de 3 anos, o trânsito se tornou menos letal em 79 países. Porém, em 68 deles ele se tornou ainda pior, dentre os quais está incluído o Brasil. A taxa de mortos no Brasil é de 23,4 a cada 100 mil habitantes, perto da taxa do continente africano, de 26,6 por 100 mil habitantes, considerado o pior pela OMS.

O Brasil sofreu uma piora significativa nas suas taxas na última década. De 2003 a 2013, a taxa subiu de 18,7 para 23,4. Em 2012, foram registradas aproximadamente 47 mil mortes no trânsito brasileiro. De acordo com o relatório, o trânsito brasileiro é o 56º mais perigoso do planeta e o 3º mais perigoso das Américas, perdendo só para a República Dominicana. Enquanto diversos outros países americanos melhoraram nesse aspecto, o Brasil regrediu.

Esse perigo é comum nos países em desenvolvimento. Países em que mudanças econômicas rapidamente estão permitindo que uma parcela maior da população adquira automóveis, são onde acontecem 90% das mortes decorrentes do trânsito no mundo inteiro. E embora representem 90% das mortes, esses países representam apenas 54% dos veículos.

Motivos por trás dos números

Ou seja, existe um desequilíbrio na letalidade do tráfego de veículos nestes países. Isto pode ser o resultado da falta de preparo dos motoristas, de infraestrutura rodoviária, de policiamento e fiscalização eficiente do trânsito. Esses fatores ajudam a explicar como a Tailândia tem uma taxa de 36,2 mortes no trânsito a cada 100 mil habitantes e a Líbia a taxa assustadora de 73,4 mortes a cada 100 mil habitantes.

Em contraste, a Europa Ocidental e o Norte da Europa apresentam as melhores taxas. Países com boa infraestrutura rodoviária, altos níveis de fiscalização e punição rígidas para infratores, como a Suécia, a Holanda, a Noruega, o Reino Unido e a Espanha, todos apresentam taxas inferiores a 4 mortes a cada 100 mil habitantes.

Onde o Brasil errou (e está errando) para apresentar números tão distantes desses?

De acordo com a OMS, a legislação de trânsito do Brasil é adequada. O único problema que eles ressaltam é o limite de velocidade no perímetro urbano, já que muitas cidades do país possuem vias com limite de velocidade de 80 km/h. De acordo com a Organização, vias urbanas seguras precisam de um limite de velocidade não maior que 50 km/h.

As leis que não seguimos

Onde o Brasil realmente falha é na implementação da sua legislação. Embora exista uma série de exigências e obrigações no nosso Código de Trânsito, muitas delas não são implementadas pela população, não são cobradas pelas governantes e nem são fiscalizadas devidamente pelos órgãos de trânsito. Essa trindade conflui em um trânsito perigoso, imprevisível e letal.

Não é à toa que o brasileiro está sempre buscando formas de aumentar sua segurança em quatro rodas, protegendo o seu patrimônio e a si mesmo. Aqui entram as associações de proteção veicular. Essas organizações funcionam com base em um fundo compartilhado, onde os associados depositam dinheiro periodicamente. Quando algum associado sofre um acidente ou um imprevisto, ele receber um valor do fundo para cobrir seus custos. Hoje em dia existem associações cada vez mais sofisticadas, que oferecem toda uma gama de benefícios aos seus associados.

É dentro dessas que a Facility se destaca. O seu Programa de Benefícios Automotivos traz: reboque, sete dias de carro reserva, auxílio chaveiro, borracheiro, elétrico, mecânico, hospedagem, transporte eventual e despachante. Tudo isso apenas a uma ligação de distância. Todos esses benefícios servem para cobrir as necessidades eventuais do associado, oferecendo proteção veicular de A a Z.

Proteção confiável

Isso tudo porque a Facility não se preocupa apenas em dar um cheque aos seus associados, mas protegê-los e oferecer assistência em todas suas necessidades, garantido sua tranquilidade e a proteção do seu patrimônio. A Facility não oferece apenas ajuda para cobrir o gasto de um acidente, ela oferece segurança e confiabilidade. A proteção automotiva pode parecer apenas um serviço para o seu automóvel, mas na verdade ela contribui para a sua paz de espírito e confiança ao utilizar o veículo no dia a dia.

2017-09-21T12:43:51+00:00