Indo para a autoescola e tirando sua carteira

Não é a primeira vez que escrevemos aqui no blog sobre tirar a primeira carteira. É um assunto muito popular e sobre o qual muitas pessoas têm tanto interesse quanto dúvidas. Hoje, iremos focar o nosso artigo em como funcionam as categorias da carteira e o processo de obtê-la.

A carteira que você precisa

A primeira coisa que o futuro motorista precisa decidir, após tomar a decisão de obter sua habilitação, é para quais categorias ele quer estar habilitado. A Carteira Nacional de Habilitação, ou CNH, assegura o direito de conduzir certos veículos dependendo das categorias em que o cidadão está habilitado. São cinco categorias principais. De forma resumida, isto é o que cada uma oferece:

A: Veículo de duas ou três rodas, que pode ter ou não carro lateral acoplado. Essa categoria é conhecida como a que permite dirigir moto.

B: Veículo com peso bruto total que não ultrapasse 3.500 kg e cuja capacidade para passageiros não ultrapasse oito lugares, excluindo o motorista. De forma geral, a categoria B é a que permite ao motorista conduzir carros. Com esta categoria, também é possível dirigir motor-home, contanto que o peso dele não ultrapasse 6.000 kg, e dirigir tratores em vias públicas.

C: Veículo que transporta carga e que possui peso bruto total ultrapassando 3.500 kg, assim como veículos em que o reboque não excede 6.000 kg. São veículos que fazem transporte de carga, mas não incluem os caminhões mais pesados. Essa categoria também permite ao condutor dirigir veículos da categoria B.

D: Veículo que realiza transporte de passageiros, com capacidade maior que oito lugares, excluindo o motorista. São veículos de transporte de passageiros, como ônibus e micro-ônibus. Também inclui veículos das categorias B e C.

E: Veículo em que a unidade tratora se enquadre nas categorias acima e cuja unidade acoplada, reboque, semirreboque, trailer ou articulada ultrapasse 6.000 kg de peso bruto total, ou que transporte mais de oito passageiros. Também inclui todos os veículos das categorias B, C e D.

Se habilitando

Sabendo qual habilitação você quer ter, é hora de localizar um Centro de Formação de Condutores (o famoso CFC) onde você irá iniciar o processo para obter a sua CNH. Você precisará realizar um cadastro no CFC, pagar as guias com os custos do curso e tirar uma foto. Feito isto, você irá para a etapa das avaliações físicas e psicotécnicas, realizadas para ver se você tem a capacidade mental e física para conduzir os veículos que você deseja.

Passando por essas etapas se inicia o curso teórico, com uma carga horária mínima de 45 horas/aula. No curso teórico serão ministradas aulas sobre a legislação de trânsito, como se comportar com segurança no tráfego, aspectos mecânicos dos automóveis e primeiros-socorros. Concluídas as horas/aula, você realizará uma prova teórica.

Caso aprovado na prova teórica, começarão suas aulas práticas. Você terá de cumprir 20 horas/aula práticas, já incluindo as aulas práticas noturnas. Após concluídas essas aulas, é realizada a prova

prática, onde suas habilidades no trânsito urbano serão testadas, assim como sua capacidade de realizar a baliza, de estacionar o carro e de andar com ele em uma pista inclinada.

No caso de você reprovar em alguma das provas, é possível remarcar elas e refazê-las em outro dia. É necessário pagar novamente o valor da prova e deve haver um prazo mínimo de quinze dias até realizá-las novamente. Aprovado nessas duas provas: parabéns! Você é um motorista habilitado. Mas calma aí, porque você ainda não está exatamente com a CNH em mãos.

Habilitação provisória

A carteira provisória garante ao cidadão o direito de conduzir os veículos para os quais está habilitado, assim como a CNH, porém ela possui algumas características diferentes. Ela tem uma validade de 12 meses e será suspensa caso o condutor cometa alguma infração grave ou gravíssima, ou caso reincida em uma infração de gravidade média. Se você não cometer nenhum desses erros citados aqui, ao fim dos 12 meses receberá sua CNH permanente.

Isso já é conhecimento público, mas é bom relembrar. Se você está ainda com a carteira provisória, tenha cuidado redobrado para não cometer infrações. Caso cometa uma infração grave ou gravíssima, ou você seja reincidente em uma infração média e perder a provisória, terá que refazer o processo de obtenção da carteira. E você não quer passar por tudo isso de novo, quer? Então, concentração no trânsito.

Pronto para as ruas

Não basta apenas ter a carteira. Nesse trânsito perigoso e imprevisível que possuímos no Brasil, é importante o motorista possuir alguma forma de garantir a proteção do seu veículo e daqueles que fazem uso dele. Por isso, a Facility tem o Programa de Benefícios Automotivos, feitos especialmente para satisfazer todas necessidades do motorista, desde a proteção do patrimônio até auxílios emergenciais. E se você quiser ver o quão acessível é toda essa gama de benefícios, faça uma simulação gratuita no nosso site.

2017-11-14T15:47:14+00:00