Dirigindo no Exterior

Viajar pelo Brasil é Bom, pelo estrangeiro também. Só que quando pensamos em uma viagem em um país estrangeiro, o primeiro porém que vem à nossa mente é o de como nos locomovermos por uma terra estranha.

Costumeiramente, fazemos aquela lista enorme de lugares para visitar, raramente um perto do outro, a viagem já começa a ficar difícil porque não sabemos como sair do nosso hotel/hospedagem e chegar até eles.

Há a possibilidade de dirigir no exterior com a CNH brasileira. Não é possível em todos os países, mas é uma alternativa. Basta saber se é viável.

PID

O que seria de um texto sobre o trânsito brasileiro, ou mesmo sobre legislação, sem uma sigla no mínimo. PID é a Permissão Internacional para Dirigir. Essa informação, a existência de uma permissão internacional, já parece entrar em conflito com o que foi exposto no parágrafo anterior.

Mas não entra não. Como foi dito acima, alguns países, muitos na verdade, aceitam que se dirija no seu território com a CNH, e mais adiante veremos o porquê. Alguns países, mas não todos, para os demais precisa da PID.

Tem outra: há um prazo para poder transitar nos países sem a PID, que é de 180 dias. Depois desse período, você pode enfrentar problemas para se locomover. Sem contar que a apresentação do passaporte é sempre necessária durante este período de 180 dias.

Duas vantagens em se fazer a PID: durante o processo, você ganha tempo para aprender sobre a legislação de trânsito de outros países, e com este documento você encontra algumas facilidades na hora de se alugar um carro no estrangeiro.

Para fazer a PID:

· Dirigir-se ao Detran mais próximo e procure o setor de habilitação para estrangeiro;

· levar as vias do requerimento disponíveis na página do Denatran;

· apresentar os documentos que lhe forem requeridos, como cópia do RG e da CNH;

· pagar a taxa para a expedição da PID.

Depois disso, é aguardar a emissão do documento.

Dirigindo só com a CNH

É preciso dizer que pode demorar um pouco a emissão deste documento, por isso recomendamos fazer com antecedência os pedidos e requisições. Quando se está organizando uma viagem, os atrasos pela emissão de um documento ou de um isto podem gerar muito estresse.

Voltando a falar em CNH, há duas convenções que regem a possibilidade de um brasileiro dirigir no exterior usando a sua Carteira. Um é o princípio de reciprocidade diplomática (que equilibra e regula as relações diplomáticas entre países) e a Convenção de Viena (maior tratado sobre automóveis no mundo).

Assim, vamos à lista.

Pela convenção de Viena:

África do Sul, Albânia, Alemanha, Angola, Argélia, Argentina, Austrália, Áustria, Azerbaidjão, Bahamas, Barein, Belarus (Bielo-Rússia), Bélgica, Bolívia, Bósnia-Herzegóvina, Bulgária, Cabo Verde, Cazaquistão, Chile, Cingapura, Colômbia, Coréia do Sul, Costa do Marfim, Costa Rica, Croácia, Cuba, Dinamarca, El Salvador, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Estados Unidos, Estônia, Federação Russa, Filipinas, Finlândia, França, Gabão, Gana, Geórgia, Grécia, Guatemala, Guiana, Guiné-Bissau, Haiti, Holanda, Honduras, Hungria, Indonésia, Irã, Israel, Itália, Kuweit, Letônia, Líbia, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia, Marrocos, México, Moldávia, Mônaco, Mongólia, Namíbia, Nicarágua, Níger, Noruega, Nova Zelândia, Panamá, Paquistão, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, Reino Unido (Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales), República Centro – Africana, República Democrática do Congo, República Checa, República Dominicana, Romênia, San Marino, São Tomé e Príncipe, Seichelles, Senegal, Sérvia e Montenegro, Suécia, Suíça, Tadjiquistão, Tunísia, Turcomenistão, Ucrânia, Uruguai, Uzbequistão, Venezuela e Zimbábue.

Pelo Princípio de reciprocidade:

Angola, Argélia, Austrália, Canadá, Cabo Verde, Cingapura, Colômbia, Coréia do Sul, Costa Rica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Gabão, Gana, Guatemala, Guiné-bissau, Haiti, Holanda, Honduras, Indonésia, Líbia, México, Namíbia, Nicarágua, Nova Zelândia, Panamá, Portugal, Reino Unido (Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales), República Dominicana, São Tomé e Príncipe e Venezuela.

É vantagem?

É bastante difícil dizer se é vantagem alugar um carro e dirigir em outro país com a CNH, ou mesmo com o PID. Isso depende muito mais do perfil de cada motorista, das suas habilidades no trânsito, sem contar as questões da barreira linguística. Já é difícil saber todas as placas de trânsito aqui no Brasil, imagine somar tudo isso com as de outros países.

Outro complicador é o fato de que os aplicativos para organizar caronas ou aluguéis de carro estão cada vez mais eficientes e populares. Apresentam preços competitivos em relação a serviços já estabelecidos, com a vantagem de que pode ser agendado com bastante antecedência. Sem contar que alguns países possuem a malha ferroviária muito

mais eficiente do que a brasileira, podendo ser um excelente atrativo turístico fazer uma viagem de trem.

Como dito acima, decidir se é vantagem ou não depende do perfil de cada motorista, bem como de seus planos de viagem. O que é vantagem mesmo, sem a menor sombra de dúvida, é se associar à Facility. Uma vasta gama de benefícios para quem se preocupa com seu bem-estar e a proteção do seu patrimônio. Afinal, quem tem Facility, tá tranquilo

2017-10-30T15:51:25+00:00