Cilindradas, potência e torque: o motor da moto

Quando compramos um veículo, todos queremos ter a garantia de que estamos investindo nosso dinheiro em algo que vai satisfazer nossas necessidades de transporte e fazer isso com eficiência. Por isso, é bom ter alguma noção de alguns termos de mecânica antes de sair escolhendo qualquer modelo de moto aí. Para falar um pouco sobre isso, preparamos esse texto com alguns dos principais termos utilizados para descrever os motores.

As cilindradas

Quando falamos em cilindradas, precisamos pensar nos cilindros e no funcionamento dos motores de combustão. A maioria dos nossos veículos modernos funcionam a base de motores de combustão interna. Esses motores são máquinas que convertem a energia produzida por uma reação química em energia mecânica. No caso dos veículos no Brasil, a maioria dessas reações químicas é a queima de gasolina ou etanol.

Essa energia liberada pela combustão é aproveitada pelo motor através dos seus cilindros. A queima do combustível produz energia mecânica que movimenta os cilindros, em um movimento chamado de cilindrada. O movimento do cilindro vai mover o virabrequim, ou veio de manivelas, que vai transmitir essa energia aos outros componentes acoplados na extremidade do seu eixo. Assim, a queima de combustível no motor fornece a força que leva à movimentação do carro.

As cilindradas afetam diretamente a experiência que o motociclista tem com a moto. Por isso quando a moto é anunciada para venda, sempre se fala das cilindradas dela, sejam 150, 250, 500, 600, 1000, entre outras. Porém, não pense que maiores cilindradas seja sempre sinônimo de maior velocidade ou aceleração. Isso é determinado também por outros fatores. Aqui entram características como o peso da moto, sua carenagem, a distância entre eixos, entre outros.

Novas tecnologias como comando de válvulas variáveis e turbinas de baixa inércia, por exemplo, fazem com que carros com cilindradas diferentes tenham potências similares.

Quando considerando comprar uma moto, é preciso olhar para outras coisas além das cilindradas, mesmo que você esteja preocupado acima de tudo com a velocidade do modelo que está considerando. O desempenho e eficiência do modelo vai ser determinado também do seu torque e potência.

A potência

A potência se refere à velocidade final que uma moto atinge. Ela é medida através de cavalos-vapor (CV) ou horse-power (HP), que, embora não sejam reconhecidas como unidades de medida pelo Sistema Internacional de Unidades, são muito utilizados pelas montadoras para descreverem o motor dos seus produtos.

De forma geral, a potência se refere à capacidade de um motor em transformar o combustível em velocidade. Mas como falamos antes, a velocidade de um veículo é definida por vários fatores. Então, nem sempre uma moto com uma grande potência é veloz. Esse exemplo fica mais claro quando pensamos, por exemplo, em grandes veículos, como navios e caminhões. Eles têm grandes potências, porém o peso que eles possuem age como um contrapeso e limita a velocidade que esses veículos conseguem atingir.

As cilindradas e a potência nos dizem o quão capaz um motor é em transformar combustível em força. Porém, esses dois quesitos se referem à velocidade máxima que um veículo pode atingir.

Quando o assunto é aceleração, o quão rápido um automóvel é capaz de ganhar velocidade, temos que levar em conta o terceiro elemento do título do texto. Aqui entra o torque.

O torque

O torque costuma ser medido no Brasil em quilograma força vezes metro (kgfm). É uma medida estranha de explicar, mas, simplificando, podemos dizer que é utilizada como uma medida de força do motor. Quanto maior for ela (um torque maior) melhor o motor responde à aceleração.

O torque vai ter um papel decisivo na direção de qualquer veículo, desde uma moto até um caminhão. Em um carro 1.0, o torque fica em torno de 9 kgfm, enquanto em veículos mais pesados ele pode ser maior que 50 kgfm.

O torque, assim como a potência, não é algo constante, é algo que varia de acordo com a rotação do motor. Se você planeja usar um veículo apenas no meio urbano, é recomendado um motor que tenha seu pico de torque com baixas rotações. Esses motores são mais eficientes no meio urbano, que exige velocidades menos baixas e uma aceleração mais responsiva.

Caso a caso

Você deve ter percebido ao longo do texto que não existem respostas definitivas nesses assuntos mecânicos. Cada modelo de moto deve ser avaliado em si só, levando em conta as características do seu motor ao mesmo tempo que se leva em conta carenagem, eixos, chassi e etc. Use a internet para buscar saber mais sobre um modelo específico que lhe interessa antes de visitar uma revendedora.

Para garantir que a sua moto está protegida e você terá todos os auxílios necessários em caso de algum imprevisto, dê uma conferida no Programa de Benefícios Automotivos da Facility e veja como uma proteção veicular completa pode facilitar sua vida. E se você estiver interessado em saber o quão acessível isso tudo é, faça uma simulação gratuita no nosso site

2017-12-19T22:19:10+00:00