Atitudes necessárias para um trânsito mais seguro

O trânsito brasileiro, na medida em que o tempo passa, vem assustando cada vez mais a população. Isso se deve ao fato de que os índices de violência envolvendo condutores e não condutores crescem de forma muito rápida. De brigas a acidentes, muitos acontecimentos colaboram para as estimativas preocupantes da realidade do país.

A cada ano, estima-se que o número de pessoas mortas em acidentes de trânsito passa de 1 milhão. O índice é ainda maior quando se refere às pessoas que sobrevivem com lesões ou sequelas. Este grupo é formado por, aproximadamente, 50 milhões. Esses acidentes são os principais responsáveis pelo óbito de jovens entre 15 e 29 anos. As vítimas, normalmente, são as pessoas mais vulneráveis nas ruas: pedestres, ciclistas e motociclistas.

A partir dos anos 2000, com o crescimento acelerado de lesões e mortes no trânsito, esse assunto passou a ser significativo na agenda global de saúde. Cada vez mais, aumenta a preocupação referente aos acidentes e mortes resultantes desse tipo de insucesso, visto que, se nada for feito, logo este será um dos maiores responsáveis pela morte das pessoas no mundo.

Pequenas atitudes para grandes mudanças

Existem algumas regras para a utilização do trânsito que, mais do que serem leis, são atitudes, muitas vezes simples, que contribuem com a boa convivência no trânsito. Cada pessoa que assume sua responsabilidade nas vias está colaborando para que haja mudanças significativas na realidade do trânsito.

Uma ação simples a ser praticada pelos condutores é respeitar o pedestre. Não se pode esquecer que, fora de seus veículos, todos são pedestres e, em algum momento, contarão com a consideração dos condutores. Porém, é preciso lembrar que as faixas de segurança são os melhores lugares para cruzar as ruas e, assim, tentar garantir o respeito dos motoristas.

Algo importante a ser lembrado é, também, que bicicletas são veículos como os demais que circulam pelas vias. Portanto, é necessário que os ciclistas utilizem, quando houver, o lugar adequado para as bicicletas e respeitem a sinalização. Além disso, nunca é de mais reforçar que, ao ultrapassar um ciclista, deve-se manter distância de 1,5 metros.

Ser gentil é algo fundamental em qualquer situação. No trânsito não é diferente, pois melhora a convivência nas vias. Um ato importante de gentileza consiste em respeitar as vagas de estacionamento destinadas a idosos e a deficientes. Falando em respeito, não se deve esquecer que é essencial respeitar o limite de velocidade nos locais onde há grande quantidade de pedestres, como em frente a escolas, por exemplo.

As regras não se limitam apenas aos condutores de carros ou de veículos maiores. É muito importante que motociclistas levem em conta sua responsabilidade para o bom funcionamento do trânsito. Tal dever começa com a utilização dos equipamentos para sua própria segurança, como capacete, luvas, botas e jaqueta. É preciso estar prevenido para o caso de envolvimento em alguma situação inesperada.

Ainda sobre o uso de itens de segurança obrigatórios, não se pode esquecer que, em um veículo, todos os ocupantes, sejam adultos ou crianças, devem usar o cinto de segurança. Pessoas que estiverem no banco traseiro também devem utilizá-lo. E por falar em crianças, é necessário lembrar que, dependendo da faixa-etária em que elas se encontram, é fundamental o uso de equipamentos adequados, como o bebê conforto, a cadeirinha ou o assento de elevação.

Outro cuidado indispensável que todos os condutores devem ter refere-se a um assunto polêmico. A combinação álcool e direção não costuma gerar bons resultados. Pelo contrário, essa é uma das principais causas de acidentes fatais nas vias públicas. Se a pessoa sentiu a necessidade de beber algo alcoólico, a melhor opção é passar a direção para alguém que não tenha ingerido nenhuma substância desse tipo. O tempo de reação é reduzido em até 25% quando o motorista está embriagado.

Assim como dirigir sob efeito de álcool, outro fator de risco a todos os que estiverem no veículo é dirigir cansado. Condutores que estiverem cansados ou com sono possuem grandes chances de perder a atenção ao trânsito. Caso o condutor encontre-se nessa situação, é preciso descansar antes de pegar o veículo.

Além disso, outra atitude que diminui consideravelmente a atenção dos condutores é fazer uso de celular enquanto dirige. Não é raro avistar pessoas que, ao dirigir, falam ao celular e até mesmo conversam por mensagens no trânsito. Distrações representam grandes possibilidades de envolvimento em acidentes.

Direção defensiva: um ato de prevenção

Direção defensiva é um dos módulos mais importantes no processo de habilitação. Dirigir defensivamente significa pôr atenção a todas as suas atitudes e às das demais pessoas que envolvem o trânsito. Essas atitudes servem para prevenir que acidentes aconteçam e, para isso, é preciso ter cautela.

Para que se tenha mais segurança no trânsito, é preciso conduzir pensando em ter e oferecer segurança. Com isso, é importante atentar, ainda, aos fatores climáticos ou a outras condições adversas que possam surgir no meio do percurso.

Para dirigir de forma defensiva, o motorista precisa conhecer as leis de trânsito e, assim, colocá-las em prática. Conhecer seu veículo é algo importante, pois cada um possui suas particularidades e evitar surpresas com o próprio carro ajuda muito a prevenir acidentes. Ademais, atentar à sinalização é indispensável.

Sendo assim, um trânsito seguro depende, exclusivamente, de cada pessoa que o compõe. Atitudes imprudentes só contribuem para aumentar o índice de acidentes ocorridos por ano, não apenas no Brasil, mas no mundo. Negligenciar as leis, ao contrário do que muito se afirma, não serve para ter mais adrenalina ou para agilizar o percurso, mas sim para vitimar o condutor infrator e, além dele, pessoas inocentes que nada tinham a ver com sua imperícia.

 

2017-08-16T21:28:10+00:00